quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

O regresso, mas lento...

Pois é! faz hoje exactamente três semanas que fui operado e decidi-me sentar em cima da bike para ver como me sentia, ou melhor, como a minha perna reagia, pois se amanhã retomo a vida profissional, melhor devo estar para a vida de divertimento.

Mentira!!! O primeiro dia foi ontem, porque foi ontem que fiz um pequeno teste com uma companhia muito especial e mais ou menos com o meu ritmo.

Como me senti bem e uma vez que já tenho as costuras saradas, decidi que hoje faria um teste para ver a reacção da perna, pois o médico disse que eu fosse fazendo o meu dia a dia conforme me fosse sentido bem, até retomar a condição física que tinha antes de operação.

Nada melhor para iniciar a recuperação do que o meu amigo "rolo" e como tal, montei o mesmo em casa, troquei a roda de trás da bike e vá de pedalar a uma resistência baixa, sem grande esforço, durante 20 minutos.

A reacção foi boa! Mas o psicológico ainda não assimilou essa recuperação, pois dei comigo a pedalar  com a perna de lado, mas nada que o tempo não resolva....

Tentei dissuadi-la, mas ela não cedeu ahahaha
Contudo vou continuar devagar, devagarinho até final do mês de Dezembro, depois começo a aumentar a cadência e tenho por objectivo a meio de Janeiro de 2011, depois de ter consulta com o médico, iniciar umas voltas em estrada e depois no inicio de Fevereiro regressar aos trilhos ao mais alto nível aahahhaha.

 

Não resisti e aqui fica um video do treino ahaha, que cadência brutal, da junior claro.... só falta convence-la a retirar o cesto e adaptar-se aos pedais de encaixe.... depois trilhos com ela ahahah
video

sábado, 11 de dezembro de 2010

Suspensão de Cara lavada

Depois de mais de 100 horas de uso e com cerca de um ano de utilização, estava mais do que na altura de levar a devida revisão e assim foi. Já voltou e espero que esteja nova, o que já não posso dizer do exterior da mesma, que apresenta umas marcas de "guerra", tanto na pintura como nos autocolantes, o que me fez pensar em lhe alterar a "cara" para tapar umas mazelas e lhe dar um toque mais personalizado, aproveitando este momento de "sopas e descanso" ou quase.
Depois de muito pensar e de muitas hipóteses saiu isto....

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Limpesa Geral

Como a minha maneira de ser não me deixa estar parado, foi difícil passar estes dias só no descanso. Com o passar dos dias as melhoras foram sendo significativas e como tal decidi entreter-me a fazer alguma coisa. Foi então que me lembrei que o brinquedo necessitava de uma manutenção e lá fui eu. Desmontei a bike toda

 e comecei a fazer uma limpeza peça a peça. Comecei pelo quadro, ao qual apliquei um polimento para disfarçar os riscos, tendo também lhe aplicado uns "tocolantes" power by CLMS para tapar "mocadas com perdas de tinta".


Depois passei-me para a transmissão, mas apenas me preocupei com os desviadores, pedaleira e eixo pedaleiro, porque a corrente e a cassete é para montar novo e já estão cá em casa. Os desviadores e pedaleira apenas foram limpos com compressor, enquanto o eixo pedaleiro necessitou de uma preocupação maior, porque o do lado esquerdo não rodava, mas agora já está impec.

A suspensão foi para revisão e quando vier vai levar uma cara nova, power by CLMS, porque gosto de dar um toque pessoal as minhas coisas.

No que respeita as rodas, também apenas as limpei e soprei, pois lubrifiquei os cubos há pouco tempo e estou à espera de algo neste campo....


O resto dos componentes também foram bem limpinhos e lubrificados, tendo dado especial atenção à caixa de direcção que já se encontra algo desgastada, nomeadamente o rolamento de baixo, isto com apenas um ano....

Neste momento encontro-me à espera da suspensão para concluir a montagem e afinação das mudanças, porque também coloquei cabos novos.

No final de contas, a bike vai andar em 2011 quase como terminou este ano, pois apenas vou substituir a corrente por outra XT, a cassete 11/32 SLX por uma 11/32 XT. Quanto a outros upgrades, tenho uma coisa em mente, mas não sei se a vou concretizar, no entanto é lógico que por dano ou desgaste lá pode surgir algo novo e para melhor, espero!

Dos componentes utilizados, apenas não estou muito satisfeito com o eixo pedaleiro e com a caixa de direcção, pelo desgaste já apresentado. Também os travões são algo que podia estar mais satisfeito, se não fosse eles gostarem de tanta atenção, mas tou a pensar em lhe colocar mais oleo, pois começo a acreditar que para atingirem um peso agradavel, cortam-lhe no óleo, ou então as bichas dilatam com a utilização.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Já era!

Sim! É isso mesmo, a minha variz já foi!!
Conforme previamente combinado, no dia 24 de Novembro de 2010, pelas 17:30 lá compareci na Clínica Santo António na Reboleira - Amadora e fui fazer o registo de internamento, algo complicado para quem se sentia a 200%, mas enfim, lá o fiz. Logo no registo surge a primeira decisão difícil, pois para me instalar tinha como opções, uma suite, quarto privado, quarto semi-privado ou enfermaria, é lógico que cada um tem o seu preço (lol), tendo eu me decidido pelo quarto semi-privado.
Depois de me instalar, esperei, esperei, esperei e esperei, só pelas 22:00 é que sou convidado a vestir a batinha linda, a toca e a meias. Posto isto, maca com ele e sala de operações. Já na sala de operações chegou o momento que mais me preocupava, a anestesia (epidoral, pois a anestesia era só local), mas pronto lá me espetaram a agulha nas costas e lá fiquei sem me sentir da cintura para baixo. Com isto tudo pelas 22:30 fui todo besuntado com betadine e de seguida levei a primeira facada, que por incrivel que pareça conseguia sentir o médico a fazer força na perna, mas não tinha qualquer dor. Durante 25 minutos lá andou o bisturi de mão em mão e a veia a levar puxão daqui e puxão dali, pois esse foi o tempo que o médico levou para resolver o problema e espero que bem.


Seguidamente voltei novamente para o quarto, desta feita com a perna toda ligada e com três cortes, dois na zona da variz e outro na virilha e com uma sensação de pressão na perna, no entanto posso dizer que me sentia bem.


Como já passava da meia noite fui tentar dormir, mas dormir de costas não é o meu género e claro foi um problema para conseguir dormir, tendo durante a noite ainda me sentido tonto e com vómitos, devido ao esforço para urinar, pois foi deitado e para dentro de um recipiente, mas a enfermeira disse que é normal. Fora isto foi andar a brincar com a cama, ora sobe, ora desce e a gastar pilhas ao comando da televisão durante o resto da noite...

Na manhã seguinte lá me foram colocar uns "drunfus" para tomar junto ao pequeno almoço, que foi tomado na cama. Há anos que não tinha essa sorte!!




Pelas 10:00 apareceu o médico e perguntou porque é que ainda não me tinha levantado e eu respondi que não me apeteceu, mas ele respondeu "vá levante-se" porque vai ter alta, com a condição que falamos, ou seja, tinha de ficar em casa da minha irmã, na Damaia, porque Alenquer era longe.

Depois apareceu a enfermeira para me fazer o penso e retirar as ligaduras, tendo eu visto que nos três cortes tenho para aí 12 agrafos, mas pronto lá me mudou o penso e colocou uma meia elástica até à virilha a qual apenas posso retirar para tomar banho..


Marca no pé esquerdo, tive de dizer ao médico para começar
pela perna que tinha a variz, é o que faz a brincadeira.


Seguidamente lá me despachei, fui buscar o papel da alta e pagar o que devia e fui para casa da minha irmã, onde passei a noite. Logo pela manhã do dia seguinte, casa, lar doce lar....

Presentemente sinto-me bem, ando pelo meu próprio pé, não tenho dores, tomo dois comprimidos por dia, um para as dores e outro para prevenir infecções e dia 3 de Dezembro vou retirar os agrafos. Possivelmente só neste dia é que vou saber quando posso voltar a fazer a minha vidinha.


Estrago na virilha





















Com isto tudo o que mais me fez confusão foi estar cerca de quatro horas sem conseguir mexer o corpo da cintura para baixo e quando tocava parecia borracha é incrível pela negativa, nós pensarmos que estamos a mexer as pernas mas ao colocar-mos lá a mão apercebemo-nos que não estamos a mexer nada..

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Rescaldo 3.º Circuito Terras de Toiro - Porto Alto

Foi a minha segunda presença no Circuito de BTT do Porto Alto e passou a estar anotado na minha agenda! Este grupo demonstrou grande vontade e empenho na realização do evento, bem como preocupação na segurança e escolha de percurso, tendo em conta que é uma zona "limitada" em termos de escolhas de terreno, considerei um percurso muito positivo.
Tenho penha de não ter percorrido os 70 kms mas as obrigações profissionais falam mais alto.

Como já referi, foi a segunda vez que pedalei pelo Porto Alto e uma boa parte do percurso já era conhecida por mim, devido ao evento antecedente, o que me deixou algo desiludido ...., mas pronto, neste momento as pernas são outras ... o brinquedo também ... logo não é  a mesma coisa!!






Normalmente a partida é algo que me preocupa, mas neste evento não me preocupei, pois local é bastante favorável, mesmo para "600" participante, mas com o aproximar da hora da partida, a preocupação surgiu, pois tal era o número de participante que se posicionaram depois da partida, à espera do inicio desta, algo para mim inaceitável, demonstrado uma falta de respeito por quem chegou cedo e se posicionou correctamente, bem como para com a organização.

a partida, sendo ainda visível atletas à frente do veículo

Posto isto segue o que interessa.
Aspectos positivos:

- Organização: com simpliciadade e vontade em fazer bem;
- Levantamento de dorsais: rápida e sem confusão, ás 07:45 da manhã.
- Ofertas: sem a quase obrigatória t-shirt, mas no entanto com um saco alusivo ao evento, uma garrafinha de tinto, canetas, óleo em saqueta,  fitas porta-chaves e dorsal em lona (o ideal para este tempo);
- Percurso: bom! tendo em conta a geografia do local. Boa escola de percurso, pois não foi tão pesado como estava à espera e ainda houve direito a um single track. Contudo foi pena o excesso de kms efectuados a trás da carrinha, pois foi um risco elevado para os participantes, porque se estava circular em pelotão compacto e várias vezes existiram "ameaços" de queda, isto na frente.
 - Sinalização do percurso: Boa! Calculo eu! pois fui sempre na roda e os que iam à frente nunca se perderam. No entanto posso afirmar que existiu muita preocupação e atenção da organização na passagem dos participantes pelas vias alcatroadas.
- Posto de controlo: Estrategicamente bem situado!  Tendo em conta o percurso considero suficiente.

Aspectos Negativos:

- Briefing: não o consegui ouvir e estava na primeira linha de partida. Algo a melhorar e muito para o futuro.
- Partida: sinceramente só me lembro de uma palavra, lamentável! acima de tudo foi uma falta de respeito pelos participante que chegaram a horas, pois os "atrasados" do costume foram-se colocando na recta da partida, à espera que esta se desse, passando assim à frente de muita gente, não dos primeiros, porque o pessoal foi fazendo "barulho" mas acredito que de muitos que estavam para trás devidamente colocado. Uma sugestão! para eventos com este número de participantes considero o "controlo 0" indispensável para evitar estas situações.
- Chegada: algo confusa por meio de carros, espectadores e atletas que já tinham terminado, isto depois da chegada dos primeiros da meia maratona. Umas Baias faziam bastante jeito e evitavam esta situação.

Sem Opinião:

- Balneários: não usufrui.
- Almoço: não participei
- Abastecimentos: não usufrui:
- Entrega de prémios: Não estive presente

A minha prestação

Como já é habito da minha pessoa, levantei-me cedo para chegar cedo, como prova a foto
Ponte de Vila Franca de Xira, ás 07:25
Cheguei ao Porto Alto pelas 07:40 e fui levantar o dorsal, tendo de seguida me preparado para a prova.

Posto isto fui fazer o aquecimento e falar com o pessoal conhecido, até que por volta das 08:40 desloquei-me para a linha de partida, a qual no momento estava vazia, o que me levava a crer que também esta prova não ia partir a horas, só me enganei um bocadinho, pois o atraso não foi grande. Entretanto deu-se a pré-partida, que consistiu em cinco kms de alcatrão em pelotão a velocidade reduzida a trás de uma veículo da organização, até chegamos ao mato e se deu a partida efectiva, tendo eu conseguido seguir nos 15 primeiros.

Daqui para a frente foi aguentar a roda do grupo onde eu seguia e ter esperança que dos seis que seguia-mos juntos, a maior parte iria para a maratona, mas não passou de esperança, porque apenas um seguiu o sentido da maratona. Entretanto também o Luís Carvalho se juntou ao grupo e voltamos a ser 6, o que durou até à parte mais dura do percurso, onde encontramos uma zona lavrada e com muita lama, onde os mais fortes se superiorizaram, acabando assim por se partir o grupo em dois, seguindo o Luís na frente com o primeiro grupo e eu atrás no segundo grupo entre os " irmãos trancadas" o que durou até ao final.


com a chegada ao sprint para a disputa da sexta posição, já não tive pernas para ultrapassar o Claudio Trancadas, acabando assim por fazer 7.º lugar.

Percurso: 35,88 kms
Tempo: 1h33m13s
Classificação: 7.º (terminaram 345)

Conclusão
Mais uma vez consegui cumprir com o objectivo previamente definido por mim, o qual era ficar no TOP10 e posso dizer que foi dos melhores resultados este ano, se não o melhor, tendo em conta que fui a disputar o 3.º lugar do principio ao fim e ainda consegui ficar à frente de um participante que ficou à minha frente em Santarém e logo atrás de outro que ficou uns bons lugares acima de mim, também em Santarém. 

Agradecimentos
Ao meu pai e a minha mãe, pela presença, apoio e sessão fotográfica.
À minha equipa pela presença e força.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Objectivo no 3.º Circuito do Porto Alto

Estaria a mentir se dissesse que não espero grande coisa, mas é mais ou menos assim que me sinto neste momento, pois durante estes últimos dias a "famelga" foi assolada pela "virose", tendo começado na minha filha, depois a minha mulher e para eu não me ficar a rir, lá fez a voltinha em mim, o que originou que eu passasse um bom tempo com a cabeça na sanita "literalmente" a fazer uns lançamentos, inviabilizando assim alguma intesão ou vontade de treinar, contudo posso dizer que treinei os sprits de corrida, nomeadamente do sofá para a casa da banho (lol). Neste momento ainda não estou a 100% mas espero lá chegar antes do dia da prova, a ver vamos, como me vou sentir nesse dia.

No que se refere ao evento, vou participar na meia-maratona e o meu objectivo será top10. Tendo em conta que na lista de inscritos constam 5 participantes que me têm passado nos últimos eventos e pelo número de participantes, considero um resultado muito positivo..

Calculo que o percurso não será muito técnico, nem deverá ter grande altimetria, bem como está definido para 35 km o que à primeira vista poderá parecer fácil e rolante, mas algo me diz que não vai ser assim tão fácil. Acredito que vou apanhar um terreno muito pesado e como tal vai existir a necessidade de força, que à primeira vista podia ser posta de parte devido à baixa altimetria.

Acumulado de 700 m, para 70 km
É lamentável, mas é o que temos, pois no site de publicidade ao evento apenas foi colocada a altimetria para a maratona, isto já à vários dias, o que me leva a crer que a maratona é mais importante que a meia-maratona, mas pronto, calculo que os primeiros kms devem ser iguais...

Com isto tudo espero que não me magoar e não ter danos no brinquedo, pois vais ser o último evento deste ano que  vou participar e era bom que acabasse como até aqui.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Upgrade a Kit de pernas

Infelizmente vou colocar o meu kit de pernas nas mãos de uma pessoa que desconheço, mas que alega ser médico e que é especialista no problema em questão, é pena é ser estrábico, mas pronto, podia ser pior!!! Sim, a minha perna direita tem um problemasito, isto há 15 anos, agora já é um problema, nomeadamente uma variz que tem feito o favor de crescer a olhos vistos no último ano, muito por causa do esforço aplicado no btt, mas possivelmente não só, também pela idade, ou mesmo por outro motivo qualquer.

A minha tatuagem (como a chamo) nunca me causou qualquer problema, mas o crescimento do último ano causou-me alguma confusão o que me fez procurar um médico, o qual me aconselhou a ser operado para a remover, alegando que agora não me incomodava, nem tinha dor ou dormência mas que futuramente iria ter e que agora devido à idade e condição física a recuperação era muito mais rápida, mas nunca antes de três semanas para fazer a vida normal e cerca de um mês e meio para o nível desportivo, mas no entanto depende de pessoa para pessoa.

Como tenho pessoas de família que foram operados e correu tudo bem, sendo a recuperação no quadro previsto, acabei por me decidir pela operação, pois não era obrigatório, tanto que à médicos que não aconselham a operar.... enfim..... é como em tudo, são livros diferentes .....ou formações em altura distintas ... o que é hoje não é amanhã nem é o que foi há 20 anos.

Acabei por optar, à profissional, pela altura do final de época (lol), sendo que não tinha objectivo de fazer alguma paragem, mas pronto, achei que no final de Novembro era a altura ideal e assim vai ser.... 

Espero que corra tudo bem e que o mais rapidamente possível volte ao meu dia a dia como estou hoje ou melhor.

 
Aqui fica uma foto da minha amiga,


Não sei quanto peso vou tirar (tenho de pedir ao medico para pesar lol) mas vou ficar mais leve .... logo, mais rápido a subir.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Outra forma de estar

Considero que existem várias formas de estar no BTT e posso dizer que a minha é mais virada para competição amadora, ou seja, participar em eventos não federados e tentar alcançar a melhor classificação possível. Mas nem todo o pessoal que faz BTT tem esta forma de estar, muitos apenas o fazem pelo gosto de pedalar, pelo gosto de se envolverem com a natureza, outros pelas companhias e outros nem sabem porque fazem .... enfim existe de tudo um pouco, mas claro está, também faço BTT com grupos de amigos e faço voltinhas apenas por diversão, mas não muitas, pois a maior parte do tempo que disponho é para treinar e nessas voltinhas o treino é relativo ...... 

Com esta abordagem pertendo agradecer a todo o pessoal com quem já tive o prazer de pedalar, num espírito de descontracção e convívio. Como é lógico muitos foram aqueles com quem já pedalei e para isso muito contribuiu o meu registo no Fórum BTT, mas apenas vou fazer referência aos que posso dizer que conheço.

Ora os primeiros são: o meu pai, o Rui Pedro (meu cunhado), o Nuno Almeida (meu cunhado) e o Hernâni Lúcio (amigo de infância), sendo que este último perdeu o bicho e os outros três nunca o chegaram a ganhar.


 


Com a alteração da minha morada para Alenquer e ao começar a frequentar a Rbikes, pedalei com o Grande Profissional Miguel e com o David (Mitra) grande mecânico. 

Miguel (http://www.rbikes.pt/)
Das provas em que participei conheci o Aníbal Couto, com o qual travei amizade e fizemos muitos kms junto, tanto em provas como em treinos, sendo que actualmente anda um bocado desaparecido.

Através do fórum Btt surgiram o Hugo Noronha (gun-hugo-dale), o Mauro (domos), o  Miguel (MD), o Luís Carvalho (shark24), o Mauro (sobralinho) e o Coke.

 
Hugo (Gun-Hugo-Dale)

Mauro (Domos)
 
Miguel (MD)


Luis Carvalho (Sahrk24), Eu (clms) e o Mauro (Domos)
 
Mauro (Sobralinho)

Coke
















































Entretanto como na minha vida profissional disponho de um dia de instrução consegui juntar colegas de trabalho para um treino físico, onde se incluiu o José Carrasco, detentor da minha ex-bike e o Pedro Fernandes.
 
José Carrasco

Pedro Fernandes















































Depois surgiu os agora colegas de equipa, Ricardo Pereira, Luís Monteiro, Pedro e Nuno Alegre, Filipe Loureiro e Rui Barral.

http://arealbiketeam.blogspot.com/
Fica também o registo, mais uma vez através do fórum BTT, do conhecimento pessoal do Carlos Merino (merino) e Hugo carvalho (espigão) com quem já tive o prazer de pedalar em eventos de BTT.


Carlos Merino, na roda
http://www.merino-btt.blogspot.com/
Hugo Carvalho
http://www.hugoespigaocarvalho.com/first/


sábado, 6 de novembro de 2010

Evolução Fisica

Hoje foi dia de mais um treino.....
Aproveitando o facto de ir trabalhar ás 8H00 levantei-me mais cedo e lá fui eu fazer um percurso em estrada, o qual faço normalmente uma vez por mês, para poder ter grau comparativo da minha evolução, pois assim consigo ver as diferenças de tempo de mês para mês, sendo certo que as condições climatéricas nunca são iguais, bem como o trânsito, pois os primeiros kms são feitos com algum fluxo de trânsito, mas mesmo assim é suficiente para o objectivo pretendido.

O percurso em causa começa na Galp em Alenquer e termina na Vila Alta, passando pelo Carregado, Cadafais, Santana da Carnota, Antas e Cabeços, percurso este que é quase sempre a subir, mas com pouca inclinação, sendo uns últimos kms de descida acentuada.


Percurso:
               Kms: 23,43
               Tempo: 0h48m57s
               Média: 28,72

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Rescaldo da 1.ª Resistência BTT de Ota

Desta vez o acordar foi ás 07:30, pois a viagem que iria fazer não demorava mais de 10m, mas foi com muito custo que me levantei, porque ouvia a chuva a bater na janela e o vento a assobiar, mas pronto quem corre por gosto não cansa. Depois de sair de casa fui ter com o Luís Monteiro e com o Rui Barral, colegas de equipa, ao local do costume, onde tomamos o reforço para a resistência. Posto isto, dirigi-me com eles para Ota e para animar, cai uma carga de água que até arrepiou, mas lá chegamos a Ota. Seguidamente fui levantar o dorsal e fui sacrificado com o 001, grande responsabilidade (lol), nada que não esteja habituado (ahaha). Com o aproximar da hora da partida fomos para o local e aguarda-mos pelo arranque, o qual aconteceu poucos minutos depois das 09:00, logo com uma chuvinha para aquecer.



Quanto à prova propriamente dita, posso dizer que me correu muito bem, mas podia ter corrido melhor se não tivesse caído 2 vezes, partido um suporte de bidon e me enganado uma vez, engano que me fez perder três lugares, mas nada que me fizesse baixar os braços. O arranque foi forte e a subir em alcatrão, onde tentei ir colado aos da frente, o que consegui, pois quando entrei na terra ia no grupo da frente, sendo o último de 8, tendo depois daqui para a frente tentado manter a posição e conhecer o percurso, pois não consegui ir reconhecer o percurso antes da prova. Após os primeiros kms perdi de vista alguns dos que seguiam à minha frente e consegui passar dois, ficando então na 6.ª posição, a qual perdi quando me enganei no percurso, tendo também sido nesse engano que caí a 1.ª vez, ficando assim na 9.ª posição. Antes de terminar a 1.ª volta voltei a enganar-me e tive de voltar para trás perdendo mais 2 lugares, os quais recuperei quase de imediato, mas graças a esse esforço lá fui eu ao chão pela 2.ª vez. A meio da 2.ª volta consegui chegar ao 7.º lugar e na segunda descida do percurso recuperei ao 6.º lugar, pois neste momento seguia com outro participante, o qual me passou poico depois, na subida mais dura do percurso, mas recuperei o lugar na descida dos "ss" e não mais o larguei a 6.ª  posição. Quando terminei fiquei a saber que o Gonçalo Penedo tinha terminado e entretanto passam três atletas para as 4h, ficando eu em pelo menos 3.º lugar, mas como outro atleta que seguia à minha frente foi também para as 4h, fiquei classificado em 2.º lugar das 2h, que na realidade foram 1h30 porque devido ao mau tempo, foi reduzido esse tempo, bem como as 4h, foram reduzidas a 3h.



Infelizmente não participei no almoço e não tive possibilidade de ir receber o troféu, pois a vida não é só BTT, mas estive representado ao mais alto nível pelo profissional "Cuco" - Luís Monteiro, a quem peço desculpa por não ter esperado por ele quando me chamou (lol)


Conclusão:
  • Percurso: Muito técnico, mesmo ao meu gosto, consideravelmente duro e perigoso devido ao mau tempo que se fez sentir nos dias antes e no próprio dia da prova.
  • Marcações: Bem marcado, apesar de me ter enganado e bem controlado pela organização.
  • Postos de controlo: não era necessário parar, uma mais valia.
  • Abastecimentos: acho que estava o suficiente, pois não utilizei.
  • Chegada: Praticamente sem público, supostamente porque o tempo não ajudou.
  • Organização: Sem nada de negativo a apontar, á excepção da falta de habilidade do "mitra" na conversa do costume (ahaha)
Resultado
Voltas: 3 (kms 21+-)
Tempo: 1h59m10s
Classificação: 2.º (terminaram 16)
http://otabttresistencia.blogspot.com/

O trofeu, o qual não tive oportunidade de receber no dia da prova

Agradecimentos:
Ao meu pai, mais uma vez me foi apoiar e tirar uma fotos.
Á minha equipa pela força, antes e pós a resistência.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O que me espera na Resistência de Ota

Nem mais nem menos, no próximo domingo é só isto, 4 kms a subir para recuperar da descida de 3km, sim recuperar, pois algo me diz que neste evento a recuperação faz-se a subir

Umas fotos ilustrativas das descidas técnicas que me esperam.....





domingo, 24 de outubro de 2010

Rescaldo da 6.ª Maratona Festibike de Santarém

O dia começou bem cedo, 6 da manhã foi a hora escolhida para acordar, pois como referi, um dos objectivos era arrancar nos primeiros, logo não me podia atrasar. Pelas 06:15 iniciei a viagem até Santarém, onde cheguei pelas 06:50, ainda de noite, algo inédito para mim, mas pronto há uma primeira vez para tudo.

Isto era Santarém ás 06:50
Ao chegar, qual não é o meu espanto ao ver que já se encontravam para aí umas 20 bikes no portão de acesso ao recinto, isso mesmo, 20, quando a prova começava ás 09:30.


Pode não parecer mas a bike está encostada a outra MSC WCR

Perante o cenário apresentado lá fui eu colocar o meu brinquedo encostado a outras e fui-me equipar, pois assim o lugar estava marcado. Após me equipar regressei para junto da bike, tendo entretanto o meu pai lá aparecido para dar apoio e ver a maluqueira que vai nesta gente. 



Aguardei até ás 8h00, momento em que abriram o portão de acesso. Com o abrir do portão gerou-se alguma confusão, pois apenas passava um de cada vez, mas nada de especial. Após ter entrado no recinto fui directo para o controlo "0" o qual foi feito com leitura otica "grande nível" e segui para a linha de partida, tendo optado pela 2.ª fila, numa lateral, pois queria ser facilmente localizado pelo meu pai, para lhe entregar a roupa em excesso, uma vez que não queria passar frio enquanto aguardava. Passado algum tempo fiquei a saber que só deixavam entrar espectadores depois das 10:00, mas após revolta dos mesmos, lá conseguiram entrar a muito custo, mesmo pagando (portugal no seu melhor). Entretanto o meu pai chegou e entreguei-lhe a roupa e nisto estávamos a minutos de partir a maratona, pois esta iniciou-se 10 minutos antes da meia maratona.


No espaço de tempo em que aguardava-mo na partida, mais uma vez as bikes ficavam sozinhas, algumas, nada de grave, o problema foi quando os donos voltaram, pois não existia espaço entre as bikes, mas a muito custo lá se conseguiram montar todos. Nisto a maratona partiu e nós chegamo-nos para junto da publicidade da Órbita. Com este chegar para a frente, fiz logo um sprint e consegui ficar na 2.ª fila novamente mas com apenas 30 bikes à frente e numa lateral como desejava.

Pelas 09:40 deu-se a partida, a qual foi feita a subir e em alcatrão o que durou cerca de 4 km de sobe e desce, os quais foram feitos no limite, ao ponto de chegar à terra batida com os dentes a doer "mais uma estreia". Chegado à terra batida, mais um objectivo cumprido, estava nos 50 primeiros e a partir daqui seria controlar o esforço e tentar ganhar posições. Entretanto fui tentando recuperar o esforço inicial e marcar o meu ritmo, tendo sido dificultado pelo facto de logo nos primeiros kms ter começado a ultrapassar atletas da maratona, o que durou até à separação dos percursos, por volta dos 30 kms, acho eu.  
Com um percurso inicial de estradões e terreno duro, sem grande necessidade de técnica foi fácil rolar a uma boa velocidade, tendo desde logo começado a ultrapassar alguns atletas da meia maratona, aproveitando por vezes a roda dos atletas da maratona. Após a separação dos percursos sigo sozinho em alcatrão entre dois grupos, o da frente com seis e o de trás com 4, tendo conseguido juntar-me ao grupo da frente já em terra batida, local onde um espectador me diz que vou em 34. Após esta informação dei uma mocada no "gajo da marreta" e fui por aí fora, passei os seis que iam à minha frente numa subida técnica em "avozinha" e quando passei junto ao meu pai (cerca de 10 km do final) ele disse-me que ia em 28.º e estava a ver mais dois atletas aos quais me colei na descida seguinte. Entretanto passei os dois e eles foram na minha roda, tendo numa subida me esforçado mais para eles se descolarem, o que resultou e daí para a frente foi a dar tudo por tudo, tendo a 5 kms da chegada, avistado mais dois à minha frente e lá fui eu em mais um esforço para os apanhar, tendo ultrapassado um e ido na roda do outro. Fizemos um bocadinho de jogo de jogo de equipa, que durou até ao final, tendo pelo meio ultrapassado outro atleta e só não o passei a ele, porque à chegada quando inicio o sprint ele encostou-me aos rails e tive de travar, se fosse na volta a Portugal era desclassificado (ahahaha)

Conclusão:
Percurso: Gostei do percurso, terreno muito duro, altimetria repartida pelos kms, sendo que as duas paredes estavam guardadas para o último terço do percurso, mas nada que não se subisse.
Marcações: Bem marcado com o controlo da organização e das forças de segurança nos sítios necessários.
Postos de controlo: Muito rápidos e bem localizados.
Abastecimentos: Não parei, não sei como estava.
Chegada: Digna de uma volta a Portugal em Bicicleta.
Organização: Sem nada de negativo a apontar, á excepção do problema com os familiares dos participantes.

Resultado
Percurso: 53 km (não confirmo nem desminto, porque o meu conta-quilómetros esteve morto durante alguns kms)
Tempo: 2h08m23s
Classificação: 24.º (terminaram 1222)
Agradecimentos:
Ao meu pai, pela disponibilidade e apoio.
Á minha equipa pela força, momentos antes de terminar.

Sessão fotográfica em Fotos